ARQUIVO 

Black History 

From Now On 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 
 
 

 
  
 Media Awareness Network, formando internautas críticos.
   
      Censura à TV? Censura à Internet? São discussões que estão em todos os programas nos últimos dias, dos telejornais aos debates especializados. Contra o apelo de sexo, violência e cenas bizarras na TV, o Ministério da Justiça cogita a restrição de horário. Em relação à Internet, a dificuldade de controle sobre o conteúdo que circula na Rede deixa muita gente alarmada, sem saber como manter os filhos afastados da exploração pornográfica, dos sites que incitam ao ódio e difundem receitas de bombas. 

         Novos desdobramentos virão em breve, pois a possibilidade de controle do acesso aos canais de TV e o filtro na Internet já existem, e a questão é como se dará sua popularização. 

            Melhor que a censura, entretanto, são as iniciativas educacionais que podem ser tomadas para formar indivíduos capazes de manter uma posição crítica aos meios de comunicação e às informações que recebem.  

         Um exemplo deste trabalho é o site canadense Media Awareness Network. Ele apresenta propostas práticas para envolver adultos, jovens e profissionais na construção de um olhar preparado para analisar as mensagens presentes nos produtos de Mídia que consumimos. 

        Temas como preconceito, soberania cultural, diversidade, disseminação de ódio, entre outros, são objetos de atividades educativas que pretendem auxiliar as pessoas a tomarem posições ante a inevitável torrente de mensagens que recebem todos os dias. 

        O Media Awareness Network é uma organização sem fins lucrativos, patrocinado pelo National Film Board of Canada, e existe desde 1995. Ele nasceu de um debate organizado pela TV Canadense sobre a criança e a violência nos meios de comunicação.  
        Debates como este, aqui no Brasil, assistimos todas as semanas. Falta a iniciativa decorrente de, além de promover a discussão e aventar proibições, criar projetos que possibilitem a formação de um consumidor mais exigente. 
 
 

Quer conhecer outros projetos?
Visite a nossa página de Links!
 
  
 
Copyright © Webhistoria
 14 de Julho  de 1999